Em tempo, Avaliação!

A prática da avaliação compreende a busca por melhor gestão dos recursos de uma instituição, ação ou projeto, podendo ser componente da análise de políticas de públicas ou escopo de uma pesquisa empírica de dado objeto, como avaliações de impacto. Assim, pode-se dizer que um processo de avaliação contribui para a produção de informação e conhecimento para tomadas de decisão em contextos diversos por uma abordagem multidisciplinar.

A tipologia clássica acerca da avaliação registra: em relação ao momento como avaliação ex-ante, ex-post e de processo; em relação ao tipo de avaliador como interna, externa, mista e participativa; ou mesmo, por uma perspectiva clássica, como prospectivas, formativas e somativas. Classifica-se ainda a avaliação em diagnóstica, de desenho, de processo e de resultado ou impacto; avaliação de eficiência ou de custo-efetividade. Pela natureza do produto da avaliação têm-se relatórios, estudos avaliativos, meta-avaliações e pesquisas de avaliação.

Processos de avaliação são estruturados em etapas organizadas em estudo de avaliabilidade; determinação e delimitação do escopo; desenho e especificação metodológicos; execução/condução da pesquisa; análise dos dados e discussão dos resultados alcançados; confecção de relatório e disseminação dos resultados.

O seguimento das etapas e a condução das atividades em conformidade com o planejamento, fazendo os ajustes necessários identificados no processo, tende a levar a identificação dos potenciais do objeto da avaliação, da verificação de melhorias. É vital reconhecer que o escopo da avaliação, e a que tipo de objeto é orientada, orientarão o foco da avaliação, a combinação de métodos de coleta, análise dados e apresentação dos resultados.

Estruturados em etapas claras e com alcance de resultados objetivos em relação a elas, a condução de processos de avaliação tende a não oferecer maiores desafios ao se pensar em sua concepção. Contudo, as especificidades e atenção que cada etapa demanda apresentam, na prática, desafios complexos e riscos sutis. Contudo, considerando a objetividade do processo, os interessados e responsáveis pelas etapas da avaliação tendem a alcançar resultados otimizados com a cooperação entre os profissionais da equipe, atenção, sensibilidade e capacidade técnica de todos os envolvidos.

Desafiador e recompensador, o processo de avaliação contribui para melhorias em processos e resultados, favorecendo incrementos nos resultados e otimização de recursos. Todos tendem a ganhar, mas especialmente os beneficiários das atividades objeto da avaliação.

Publicado originalmente no LinkedIn, em 7 de junho de 2018.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s